Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

panteao.jpeg

 

Já quase tudo foi dito sobre o jantar de encerramento da Web Summit no Panteão Nacional, mas mesmo assim o tema é tão bom que não consigo ficar calado. Só de saber que posso tirar uma selfie a beber um shot de vodka ao lado de uma urna, a minha vida ganhou outro sentido, que preciso desabafar. Depois, se pensarem bem, este evento da Web Summit tem a ver com empreendedores e se eles pegam nesta ideia, daqui a 70 anos, os vossos filhos vão comprar um frango assado e descobrem que o Cristiano Ronaldo foi enterrado numa churrasqueira.

 

Mas quem sabe confundiram as 12 "Estrelas" que estão no Panteão, (Almeida Garrett, Amália Rodrigues, Aquilino Ribeiro, Eusébio da Silva Ferreira, Guerra Junqueiro, Humberto Delgado, Manuel de Arriaga, Óscar Carmona, Sidónio Pais, Sophia de Mello Breyner Andresen, Teófilo Braga) com 12 Estrelas Michelin? Pode ter sido, sim.

 

A conversa está boa, mas tenho de ser rápido pois fui convidado para ir a um brunch no crematório de Sernache agora às onze horas. Espero que compreendam, pois a aberta na grelha é só até ao meio-dia. A especialidade são corações, segundo me disseram.

 

Dito isto, o Estado/governo, na pessoa do Primeiro-Ministro António Costa, já se veio indignar, com o Estado/governo, liderado pelo senhor primeiro-ministro António Costa, por ter dado autorização para o referido jantar. Por outro lado, Barreto Xavier, do anterior governo , e responsável pelo Panteão Nacional integrar o ramo da restauração e estar no Zomato, indignou-se por se fazerem jantares no Panteão. Com isto, confirma-se que se continua a fazer boa política em Portugal.

 

A propósito do Zomato, as críticas dos clientes não são muito boas. Aconselham peixe, dizem que vem pouca carne, muita ossada, e por norma chega fria. O bacalhau-com-todos (convém saber o que são todos) também não tem boa classificação, ao invés do Pão de Deus, que é especialidade da casa. É também referido o ambiente com pouca vida. Talvez aconteça pela banda residente ser os Mão Morta, que cantam "Morte ao Sol" dos GNR . Na secção sugestões, há bastantes pedidos para a criação do serviço "Panteão Drive".

 

Por outro lado também não deixa de ser interessante que o Panteão Nacional de dia seja um cemitério gourmet, e à noite vire cabaret. Se formos lá de dia, os funcionários pedem silêncio e recato, mas no caso de irmos a uma jantarada, podem gritar, dançar, e ver gajas semi-nuas. Talvez seja devido aos inquilinos terem o sono pesado.

 

A talhe de foice, e eu estou cá para pensar nestas coisas, se compararem os preços das casas em Lisboa com o do aluguer do Panteão, conclui-se que é mais barato alugar uma urna para dormir na capital, que um T0 sem casa-de-banho na Penha-de-França. Ainda há a vantagem da vizinhança não criar problemas nas reuniões de condomínio.

 

Já que é para rentabilizar o Panteão, sugeria "caças ao tesouro". Quem trouxesse a pála do Camões, ou o Xaile da Amália não pagava a conta. Ou jantares temáticos, de futebol, literatura, fado, era só escolher. Ou um programa de TV: "Querido Mudei o Panteão". Mudavam para caixões em Carvalho Francês, porque o mármore é muito frio no Inverno e dá cabo das articulações. Pensei também no "Pesadelo na Cozinha", mas era capaz de ser má ideia. Imaginem o Ljubomir quando visse o estado da carne?

 

Já agora, para os que pensam que podem ir jantar ao Panteão quando lhes apetecer, desenganem-se, não é para todas as bolsas. Para a classe média sugiro, para jantar, a morgue do Santa-Maria; está com preços acessíveis, mas em regime buffet. Para os desempregados, e com rendimentos mais parcos, há vários cemitérios, a oferecer, por vinte euros, duas campas relvadas para piqueniques, com serviço de bar incluído. Ninguém fica de fora.

 

Estranho é não ver até ao momento nenhuma manifestação da igreja, ou provavelmente já se adaptou e estou aqui a criticar. O famoso "descanse em paz", já terá sido substituído pelo, "descanse em paz, menos quando há jantares marcados".

 

Sendo sincero e pondo-me no lugar dos familiares que têm alguém no Panteão, admito que não me entusiasmava ver alguém próximo, depois de morto, servir de caixa registadora . Depois, a memória deve ser respeitada, e banalizá-la é o pior que o ser humano deve começar a fazer. Mas isto digo eu que sou conservador.

 

Para terminar, a sorte no meio disto tudo foi os sepultados no Panteão não terem morrido devido à legionella senão entrava lá a polícia para ir buscar os corpos e estragava o jantar. E isso sim, seria uma maçada.

 

PS - : Primeiro. Quem é que se lembra de alugar um cemitério seja para o que for? Segundo. Quem é que se lembra de ir jantar a um cemitério? Terceiro. Quem é que gosta de ir jantar a um cemitério? Quarto. Quem é que acha uma boa ideia rentabilizar um cemitério?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:18

Não vi o vídeo da alegada violação publicado no jornal Esgoto da Manhã. Calma, não é que não goste de películas de cinema de autor, mas a minha sanidade ainda está mais saudável que a do director do Esgoto.

 

Apesar de não ter visto o vídeo vou dizer umas coisinhas...

 

Pelo que me é dado a ver o álcool e a mini-saia são as maiores causas de violação/abuso dos tempos modernos. "Ui aquela gaja de mini-saia está mesmo a pedi-las"; ou, "está tão bêbeda que é aproveitar que nem reage. Se bebe sabe que pode haver consequências". Imagino este pessoal se descobre alguém que toma comprimidos para dormir. "Não acorda? Siga que é tipo self-service. Se tivesse acordado/a nada disto acontecia...".

 

Não sei se concordarão comigo, mas esta corrente de pensamento parece-me perigosa, senão reparem: estava a falar com uma amiga, em que ela diz que se a rapariga não tivesse bebido, nada daquilo teria acontecido. Sem se aperceber, logo aqui foi para fora de pé, pois concluiu que se a jovem estivesse sóbria, não apreciava que o rapaz lhe pusesse a mão na língua-de-gato, naquelas condições.

Depois perguntei-lhe se por acaso um dia exagerasse na bebida se não se importava de ser degustada por um mini-bus de ganeses, e ainda ser apontada como provocadora, quando os rapazes só iam a passar.
Admito que fiquei surpreendido com o silêncio. Talvez esta ideia de ser rodeada por cavalheiros robustos e detentores de marretas à cintura, não lhe fizesse assim tanta confusão.

Percebi que não ficou totalmente convencida com os meus argumentos, e pedi-lhe para substituir a sua pessoa por uma filha. Aqui, disse-me que já estava a desconversar. É complicado. Se nos tocar a nós...

Terminei a dizer-lhe, que nunca faça nada que a deixe "anestesiada", pois pode acordar com vontade de pôr pó-de-talco para assaduras... sem saber a razão.

 

Eu penso sempre como seria comigo... Vou a uma festa, bebo demais, vem de lá um atrevido e usufrui de algum orifício meu sem autorização. Não ia apreciar passar duas semanas sentado numa bóia. Depois ainda gostava e era uma chatice.

 

Isto é a mesma história que roubar alguém bêbado. Um bêbado até é capaz de oferecer tudo. Mas em tribunal isso pode ser revertido por aproveitamento de uma pessoa que não está na plenitude das suas capacidades, apesar de ter dado porque quis...

 

Os que filmaram, talvez se conhecessem um actor porno - ainda hoje me impressiono quando o vejo - que tinha uma giboia de 50cm, e lhes dissessem que na próxima, subiam o pau ensebado sem mãos, o Spielberg que têm dentro deles passava-lhes que era um instante.

 

Nós devemos ter muita calma a abordar estas coisas e os sinais que damos, mesmo que nos pareçam óbvios...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:57


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga o Gajo no Facebook


Mais sobre mim

foto do autor









Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D



Os que já se arrependeram...

Histats