Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

 

 

gd.jpg

 

Pessoalmente não acho que nada sobre mim tenha grande interesse. Aliás, sou um gajo extremamente desinteressante, diga-se.. No entanto recebo muitas perguntas de seguidores, e de outros, a quem nunca respondi, que sentem alguma curiosidade sobre a minha pessoa, sobre o blogue, e a página do facebook. Chegou hoje o dia de responder ao possível.

 

Nome
Gajo.  Ainda me lembro de ao início quererem que mudasse o nome da página, pois "gajo" era depreciativo. Era para ser. Na altura não se usava... hoje...até "gajas".

 

Idade
Não especificaram se era a mental. Se sim, 12.

 

Estado Civil
Perfeito.

 

Qual a tua área?
Normalmente, sala. E estudei mais que o Relvas.

 

Filme preferido?
Suspeitos do Costume.

 

Série
House of Cards; Braking Bad.

 

Música
Cure; David Bowie; Benjamim Clementine; Violent Femmes, etc.

 

Comida Favorita
Lulas.

 

Já ganhaste dinheiro com esta página?
Não. Nunca coloquei uma marca num post que não tivesse o exclusivo intuito de fazer rir.

 

Já te pediram para escrever algo a troco de algo?
Já, mas não era positivo para o que a página é, para mim, nem para quem me segue. No fundo nada que valesse a pena. Quando o fizer, se o fizer, digo.

 

Se sou humorista?
Não. Aliás a minha vida sempre foi muito longe da escrita de humor.

 

Se espero tirar proveito desta página?
Não. Nunca foi o meu intuito. O tempo verbal pode ser indicativo. O número de seguidores Ainda hoje me espanta. Ter 5 mil na primeira semana foi incrível. Se nunca tivesse parado de escrever durante vários meses, ciclicamente, hoje não sei quantos teria. Tive os meus períodos de abaixamento de forma. Antes das alterações no facebook tinha uma média de 100 seguidores por dia, atualmente para ter 1 é uma luta. Mantenho o mesmo espírito. Até hoje nunca pensei rentabilizar isto. Sempre foi uma distração e um local de exorcismo de minha parte. Amanhã não sei. Depende do que for.

 

Como é que conseguiste ter sucesso com a página do facebook e com o blogue?
Não faço a mínima. Talvez nunca me ter lamentado, ou dizer as coisas em tom de lamento. Falar em temas difíceis com humor, provavelmente foi o maior segredo (esta página tornou-se uma comunidade onde as pessoas desabafavam e riam. Eu só arranjava motivo para aparecerem). Nada foi pensado. Calhou assim. Quem cá vinha já tinha muitos problemas, não precisava dos meus. Queria rir, não chorar. Eu ajudava a fazer rir, e ajudavam-me rindo. Uma troca. Hoje continua a ser válido. Depois, respeitar os seguidores é fundamental. Escrever coisas que as pessoas gostam também ajuda. Ah, e interagir. A caixa de comentários deve ter feed-back de quem escreve. Esta pergunta e mais algumas foram feitas por pessoas que queriam abrir páginas. Sim, fui consultor em várias.
Outra coisa: gosto de ter seguidores, muitos, enche-me o ego. Não sou hipócrita. "Ah, não quero saber". Treta. Para isso escrevia e não publicava. Punha numa moldura e lia eu.

 

Sonhos
Saúde.

 

Dás aqui a tua opinião?
Raramente, apesar se alguém roubou é obvio que não concordo com isso. Mas tento evitar. Uma coisa é certa: nunca escrevo sobre a pessoa, mas sobre situações em que está envolvida. Por vezes não é fácil pois há seguidores que pessoalizam a situação. Se eu disser que uma "velha" não deve usar fio dental na praia antes de ir ao estendal, a "velha", para muitos estou com preconceitos. Por mim a velha usa sete fios ou anda nua. Que seja feliz. Esta seria a minha opinião, mas não teria graça. Se falo do PS os socialistas não gostam, do PSD os sociais democratas idem, e por aí a fora. Quero fazer rir, ponto!

 

Quanto tempo levo a fazer um texto?
Ter a ideia, pensar na estrutura, escrever, correções, gramática, pontuação, etc, cerca de 3 horas. Mas é variável.

 

Se acho piada ao que escrevo?
Raramente. Quando publico é raro pensar que está engraçado, ou que fará rir alguém. Tenho essa esperança, daí os vossos comentários, likes e partilhas serem importantes, para ter a ideia e sentir que vale a pena continuar. Quando não tiver reacções paro. Meto na moldura.

 

Que convites já tiveste?
Alguns, mas para escrever, que era o que me interessava, nenhum -remunerado. De borla às dezenas. Fui convidado para ir ao "5 para a meia noite", pelo Markl; para dar a cara em entrevista, para o DN; fazer uma foto-reportagem para o I, na altura das manifestações; mais uma coisa ou outra, como a entrevista no P3 do Público ou ser a página da semana na Antena 1 - nestas situações como o "Gajo".
Nunca aceitei nenhuma pois nunca quis exposição. Nunca quis ser o representante dos desempregados. Nem de mim faço um bom papel. Sou muito recatado, as luzes ferem-me as vistas. Também tive um convite para escrever um livro, como cheguei a dizer aqui, mas não era rentável, e com risco de perder dinheiro. Um convite, remunerado, para escrever, bola. Tiros ao lado.

 

Ambições profissionais?
Trabalhar no que gosto e sentir-me realizado. Depois se der para ser bem remunerado por isso, melhor. Prefiro ganhar menos e gostar do que faço. Pelo trabalho que dá, se só trabalhasse pelo dinheiro, tinha fechado esta página no primeiro dia.

 

Já pensaste em fechar a página?
Muitas vezes. Não o fiz por respeito aos seguidores; muitos vinham sempre dar uma palavra quando andava ausente. Acho isso incrível, lembrarem-se de mim. Muitos seguem-me desde o primeiro dia. Acho que nunca vou fechar, pode perder o "desempregado", fica o "Gajo".

 

Para terminar:

Quero dizer que esta página esteve longe de ser só gargalhadas e para mim nem sempre foi fácil ver diariamente pessoas a passarem por dificuldades, muitas das quais aprendi a gostar. Deste lado também não era/é fácil... Eu lia e recebia muitas histórias que gostavam de partilhar comigo. Por vezes era um peso grande. Felizmente há cada vez menos histórias. Haverá quem duvide disto, mas ainda há pouco tempo tive um comentário, público, de uma senhora que era seguidora diária, que passou por dificuldades, emigrou e hoje está muito feliz. Fez questão de mo dizer. Deixa-me honrado e feliz ao mesmo tempo. Reconforta-me sentir que "ajudei", sem saber, em determinada altura, e que não me esqueceram. Esta página tem uma história dura mas bonita, além das gargalhadas, que talvez os seguidores mais recentes não se apercebam tanto. Isso deixa-me tocado, admito.

 

Muitas outras perguntas foram feitas mas não saímos daqui, nem teriam grande interesse. Já estas...

 

Gajo

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 00:04


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Aninhas a 09.05.2017 às 12:34

:-):-) Tudo isto ficar na moldura? NÃO! Na sua escrita há de td um pouco! Há humor, e assuntos mais sérios! Mto bom!

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga o Gajo no Facebook


Mais sobre mim

foto do autor










Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D



Os que já se arrependeram...

Histats