Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




saloio.jpg

 

 
Depois das declarações de ontem de Fernando Santos, tivemos pela primeira vez em direto o pedido de divórcio de um selecionador nacional. Quando todos pensávamos que ele ia falar da seleção, o que ouvimos foi uma serie de recados à sua mulher. Vejamos:

Fernando Santos disse que já informou à família "que só regressa a Portugal dia 11 de Julho", dia da final do europeu de futebol. Com o futebol que Portugal pratica e com as escolhas dos jogadores que faz, a primeira coisa que a sua mulher devia fazer imediatamente era começar a investigar para onde é que o marido vai a partir da próxima quarta feira. 

Se não ficaram convencidos, e pensam que estou louco, reparem na próxima frase do selecionador nacional: "só volto a Portugal como campeão europeu". Chega? Isto é o novo, "amor, vou ali comprar tabaco, já volto". Reparem: "Amor, não percebo nada disto e vou ali ganhar o europeu, já volto". Não é o mesmo? Ah pois é, tenho olho de lince para estas coisas. Só acho mal trazer assuntos domésticos para a praça pública. Provavelmente a senhora carrega no sal. 

Ainda assim dou de barato que Fernando Santos não esteja bem da caixa das decisões. Costuma dizer-se que por norma quando falamos muito numa coisa, queremos dizer exatamente o contrário. Por exemplo, no atentado de Orlando, soube-se que o terrorista era homofóbico, vindo depois a descobrir-se que era frequentador da discoteca gay, e que afinal gostava de dançar Flamenco de leggins laranja e com o salto agulha ao contrário. Já Fernando Santos, diz tantas vezes "na realidade", que só pode ser para se convencer que João Moutinho "na realidade" faz sentido a titular. Só esperamos que Fernando Santos não se passe outra vez e meta o João Moutinho a marcar livres e cantos. Dá cabo de 11 milhões.

A propósito deste tema, tenho receio que no futuro a seleção tenha problemas com a justiça, quando se descobrir que Fernando Santos é para João Moutinho o mesmo que Santos Silva era para José Sócrates: o melhor "amigo". Em tudo igual: Sócrates não tinha onde cair morto, e foram-lhe "emprestados" 20 milhões, enquanto João Moutinho, joga atualmente o mesmo que a minha mãe quando está aflita do joelho, e é titular da seleção. Coisas de engenheiros.

No entanto se Fernando Santos decidir regressar a Portugal, acho que só vai encontrar emprego como administrador na Caixa Geral de Depósitos. Primeiro, porque quem tem 19 administradores pode ter 700, dado que os ordenados vêm do "poço". E em segundo lugar, pela última amostra de selecionadores, e estado do banco público, há uma combinação perfeita, pois são dois empregos que não é preciso perceber nada do assunto para assumir o cargo.

Nunca pensei dizer isto, mas neste momento a coisa mais animada relativamente à seleção é a música "fúnebre" do Abrunhosa. Pior ainda é Fernando Santos fazer o 11 com os óculos do cantor. Não sei se notaram, mas a música deixou de passar. E é lógico, dado que o título da canção é: "Tudo o que eu te dou". Ao nível das promessas a seleção está como os políticos. Em campanha, "Tudo o que eu te dou"; a governar, "Tu me dás a mim". Nós cá vamos apoiando, financiando, e batendo palmas, vitórias é que está de chuva.

Força Engenheiro! Força Portugal!

PS - Força Eder!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:59


1 comentário

Sem imagem de perfil

De LOL a 11.07.2016 às 16:56

E agora ???

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga o Gajo no Facebook


Mais sobre mim

foto do autor










Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D



Os que já se arrependeram...

Histats